Área Restrita
Login Senha
 
SOMATI - Conheça a nossa história

Um breve histórico da SOSMATI e da Medicina Intensiva em Mato Grosso do Sul

 

     Difícil precisar a data de início não oficial das atividades da SOSMATI. Apesar da fundação ter sido em 19 de março de 1982, com a posse da 1ª diretoria, a nossa sociedade já existia sem as formalidades previstas, com atividades científicas registradas desde 1979. Com a fundação do CTI da Santa Casa em 1974, o primeiro em nosso estado, e um dos primeiros do Brasil, as atividades científicas em terapia intensiva começaram a crescer, coincidentemente com o início da SOPATI (Sociedade Paulista de Terapia Intensiva), em 1977, dirigida pela Dra. Mariza d’Agostino Dias. O fundador da sociedade em nosso estado foi o Dr. Renato Barbosa de Rezende, calouro de faculdade da Dra. Marisa.

     O CTI da Santa Casa foi inaugurado em 16 de julho de 1974 e teve como primeiro chefe o Dr. Guaraci Vieira de Almeida. Ali comecei a trabalhar no final de 1978, e percebi que era um serviço que já se preocupava com a qualidade científica. Foi fundado por uma equipe multidisciplinar e assim permanece até os dias de hoje. Muitos eventos científicos realizados na Santa Casa, naquela época, na verdade foram eventos organizados pelo grupo do CTI. Palestrantes famosos aqui estiveram por diversas vezes, como os Professores Marcel, Dário Biroline, Marisa d´ Agostino e outros tantos ligados aos atendimentos de urgência e emergência da USP, até os dias de hoje.

     Por ocasião da mudança do prédio da Santa Casa, no início de 1981, cá esteve o Professor Zerbine. Visitou todo o hospital e permaneceu algum tempo conosco no CTI. Lembro-me perfeitamente quando fazíamos uma foto na frente do Hospital, ainda inacabado, das suas palavras ao então presidente Dr. Arthur d’Avila; “se quiser que seus médicos se dediquem com exclusividade a este hospital, pague e trate-os muito bem, para não precisarem tomar cafezinho na esquina”.

     Hoje o Centro de Terapia Intensiva da Santa Casa funciona com 33 leitos de UTI geral, além das demais unidades de pós-operatório de cirurgia cardíaca, UCO, UTI pediátrica e neonatal. O Serviço conta com um Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva reconhecido pela AMIB e pelo MEC, com 4 vagas; estando em funcionamento há 12 anos.

     O segundo hospital a implementar um Serviço de Terapia Intensiva em nosso Estado foi o Hospital Universitário, com a inauguração do CTI Adulto em 01 de maio de 1980, tendo como primeiro chefe o Dr. Carlos Eduardo Paitil, contando com equipe composta por médicos de várias especialidades. Atualmente o CTI Adulto possui uma equipe multidisciplinar voltada para o atendimento integral do paciente crítico, bem como oferecendo treinamento para a formação de médicos residentes de várias especialidades, entre elas Clínica Médica, Cirurgia Geral, Ginecologia e Obstetrícia, Infectologia e Dermatologia; e, mais recentemente abrigando o Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde, tendo como área de Concentração, a Atenção ao Paciente Crítico, para as áreas de enfermagem, farmácia-bioquímica, fisioterapia, nutrição e odontologia.

     A medicina intensiva em nosso Estado deu outro passo importante com a criação dos Serviços de Terapia Intensiva Pediátrica, quando em 1981, o Dr. Joel de Freitas iniciou a coordenação e chefia de uma enfermaria de cuidados Intensivos, que posteriormente passaria a ser o CTI Pediátrico do Hospital Universitário; e em 1983, com o Dr. Rubens Trombini chefiando o CTI Pediátrico da Santa Casa. Em 1986, o Dr. Durval Batista Palhares coordena e se torna o primeiro chefe da UTI neonatal do Hospital Universitário; posteriormente a Santa Casa também inaugura a sua UTI Neonatal.

     Com a expansão dos Serviços de Terapia Intensiva e aumento da demanda de leitos para assistência aos pacientes críticos, outras unidades intensivas especializadas foram criadas, dando origem às Unidades de Tratamento Intensivo Coronarianas e de Pós-Operatório de Cirurgia Cardíaca, tanto da Santa Casa quanto do Hospital Universitário.

     Desde então as atividades assistenciais ao paciente crítico foram implementadas em outros hospitais de nossa cidade e do interior do estado, com a criação de novos CTI, como o CTI do Hospital Geral de Campo Grande (Hospital Militar), CTI da Clínica Campo Grande (que depois vem a se chamar Hospital do Coração de Mato Grosso do Sul), o CTI do Hospital Proncor Geral (inicialmente no Centro e depois a unidade do bairro Chácara Cachoeira), o CTI do Hospital Adventista do Pênfigo (inicialmente no bairro e depois a unidade do Centro), o CTI do Hospital Miguel Couto (que depois vem a constituir o Hospital Unimed), o CTI do Hospital Sírio Libanês (que depois vem a constituir o Hospital El Kadri) e o CTI do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, bem como os CTI do interior do Estado, como os CTI de Corumbá, Dourados, Três Lagoas e Aquidauana.

    O Serviço de Terapia Intensiva do Hospital Regional também merece destaque neste breve histórico, em consideração ao papel que hoje ocupa na assistência ao paciente crítico e como centro formador. O mesmo foi inaugurado no ano 2000, tendo como primeiro chefe o Dr. Carlos Geraldo Sobral de Medeiros. Em 2008 foi criada a linha de assistência ao paciente crítico e em 2010 foi implantada a Residência em Terapia Intensiva Adulto; em 2012 foi construído o complexo das 4 ilhas, contanto atualmente com leitos de CTI geral, CTI Pediátrico, UTI Neonatal, Unidade Intermediária Neonatal, Unidade Coronariana e de Pós-Operatório de Cirurgia Cardíaca, totalizando 60 leitos ativos.

     Retomando a história da nossa sociedade, a SOSMATI formou a sua primeira diretoria com aqueles colegas que trabalhavam no CTI da Santa e CTI do Hospital Universitário, tendo como Presidente o Dr. Renato Barbosa Rezende, Vice-presidente o Dr. Antônio Carlos Leite Barros, 1º Secretário o Dr. Alcyr Salvador Parrilha, 2º Secretário o Dr. Nelson Quintão Froes, 1º Tesoureiro o Dr. Gualberto Nogueira de Leles e 2º Tesoureiro o Dr. Luiz Alberto Ovando. Além destes são considerados como Sócios-Fundadores, o Dr. Luiz Eduardo Hindo, Drª Mirian Sandri de Oliveira Trentin, Dr. Nery Godoy, Dr. Sérgio Felix Pinto, Dr. Valnei Bento Serra Damasceno, Dr. Waldemar Silva Almeida, além da minha pessoa.

     Em 30 de agosto de 2000 a SOSMATI passa a integrar a Câmara Técnica de Medicina Intensiva, criada pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da portaria 15/2000.

     Atualmente trabalhamos em equipe multidisciplinar. Impossível com tanto conhecimento e tecnologia, um CTI sem esta cooperação mútua, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionista, fonoaudióloga, psicólogo, odontólogo, engenheiro clínico e equipe de suporte (desinfecção, copa, transporte, etc...).

     Hoje somos uma sociedade respeitada. Somos a segunda maior sociedade médica de especialistas no Brasil. Devemos continuar a nossa luta, pelo bem único do paciente, aquele que a família nos entrega, confiando na habilidade e competência de toda a equipe.

 

Drª Maria Augusta Santos Rahe Pereira

Médica Intensivista e Sócia-Fundadora da SOSMATI

 

Campo Grande-MS, 04 de março de 2015

Associe-se

Por que se associar à SOSMATI regional da AMIB?

Ao se associar a sua inscrição vale por 1 ano. Neste período você usufrui de benefícios exclusivos.  

Depois de 1 ano, se o valor da anuidade não for quitado, você não fica devendo nada à SOSMATI / AMIB. Poderá se filiar novamente, quando quiser, sem pagar valores retroativos.

Veja mais aqui